Super Finishing
NotíciasPlástico

Simplás e Abiplast apresentam projeto que pode se tornar tendência no setor

Plástico do Bem está beneficiando 20 escolas municipais de Farroupilha

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) encerrou, sob aplausos, a reunião da Câmera Nacional de Recicladores de Materiais Plásticos (CNRMP) da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), em edição especial realizada no dia da abertura da Interplast 2018 – Feira e Congresso de Integração da Indústria do Plástico, no dia 14 de agosto, em Joinville (SC). A plateia de lideranças do setor aplaudiu a linguagem inovadora e acessível proposta pelo Sindicato para introduzir à sociedade a ideia de economia circular.

Jaime Lorandi, presidente do Simplás e conselheiro da Abiplast, palestrou durante a reunião-almoço da Câmara da Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, que ocorreu no último dia 27 de agosto, abordou visões pré-concebidas, com dados, fatos e estáticas, que propôs novas soluções através da responsabilidade coletiva. Além disso, realizou o lançamento do projeto Plástico do Bem na CIC, que será responsável por capacitar integrantes do condomínio de entidades a coletar, separa e trazer seus plásticos limpos para a reciclagem que gerará recursos.

Atualmente, o Plástico do Bem está remunerando 20 escolas da rede municipal de Farroupilha por meio da capacitação para reciclagem oferecida aos estudantes, familiares e professores. “O sujeito ativo da poluição são as pessoas. Não dar o destino correto para aquilo que se consome, ou nem mesmo pensar a respeito, é uma questão de comportamento.  Porém, vivemos novos tempos e precisamos desenvolver novos hábitos. Assim, o caminho é investir na educação para a sustentabilidade”, afirma Lorandi.

O presidente da Abiplast e também da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), José Ricardo Roriz Coelho, entende que a apresentação desenvolvida pelo Simplás, que será compartilhada por todo o setor, tem capacidade de modificar a forma como as pessoas enxergam o ato de consumo e o incremento na qualidade de vida oferecido pelos produtos.

“O Jaime é um palestrante bem didático e o conteúdo está bem acessível à toda população. Não usa aquela linguagem técnica, restrita ao setor. Ele mostra com fatos que a sociedade não poderia viver sem o plástico. Porque oferece muitos benefícios e porque a troca por outros materiais teria imenso impacto ambiental. O que a sociedade precisa fazer é buscar alternativas para ampliar o uso dos plásticos e estabelecer uma relação mais amigável deles com as pessoas”, avalia Roriz.

Para mais informações sobre o mercado do plástico, preencha o formulário abaixo e receba conteúdo segmentado de qualidade!

Tag

Artigos relacionados