Casa / Notícias / Lixo plástico tem novo destino com ajuda da impressora 3D

Lixo plástico tem novo destino com ajuda da impressora 3D

Após reciclado, plástico é transformado em bancos na Holanda

A conscientização das pessoas com relação ao estilo de vida descartável em grandes cidades tem sido um dos objetivos de algumas correntes do design mundial, que tem usado e abusado da reciclagem e da sustentabilidade nesses projetos. A sustentabilidade na modernidade é mais que uma tendência no mercado, mas uma necessidade com tanta produção de resíduos. Com base em Roterdã na Holanda, o estúdio The New Raw desenvolveu um projeto diferente para transformar o lixo plástico recolhido na cidade em móveis para espaços públicos com a ajuda de uma impressora 3D, o ‘Print Your City’, que em português significa ‘Imprima a Sua Cidade’.

Esse projeto já deu o primeiro resultado satisfatório, através da confecção de um banco que acomoda até quatro pessoas e pode ser utilizado também como cadeira de balanço, onde os usuários precisam encontrar o equilíbrio em conjunto, ou utilizar sua energia para balançar. A produção do móvel utiliza pallets de plástico reciclado e a peça final, depois de impressa em 3D pesa 50 quilos, mede 150cm de comprimento por 80cm de largura, e tem a opção de ser personalizada facilmente, tanto em termos de formas quanto função.

De acordo com os desenvolvedores, somente em Amsterdã, capital da Holanda, são gerados anualmente 23 quilos de resíduos plásticos por pessoa, e esse volume seria suficiente para imprimir um banco para cada dois habitantes, o que significa uma grande quantidade de lixo que está sendo desperdiçado e descartado de forma incorreta, enquanto poderia ser reutilizado para criações interessantes, curiosas e inovadoras como essa.

Um pouco da história do plástico

A palavra ‘plástico’ tem origem grega e significa ‘aquele que pode ser moldado’. O primeiro plástico sintético foi criado no início do século 20 e desenvolvido aceleradamente a partir de 1920. O material tem pouca idade quando comparado a outros como o vidro e o papel, mas passou a estar presente em grande parte dos utensílios e objetivos utilizados. Inicialmente foi fabricado a partir de variadas resinas que são derivadas do petróleo e pertence ao grupo dos polímeros, mas atualmente com a sustentabilidade e busca por desenvolvimento de produtos a partir de fontes renováveis, como a cana-de-açúcar, por exemplo.

São diversos os tipos de plásticos que vão desde os mais rígidos aos mais maleáveis. Dividem-se em dois grupos: termoplásticos e termorrígidos. O primeiro grupo inclui os plásticos que amolecem ao serem aquecidos e podem ser moldados, e quando resfriados, ficam sólidos e ganham nova forma. O processo pode ser repetido por diversas vezes e esse grupo corresponde a 80% dos plásticos consumidos, e tem como exemplo o polietileno. O segundo grupo conta com os plásticos que não derretem quando aquecidos, o que impossibilita a reutilização através dos processos convencionais de reciclagem, como o poliuretano rígido. O plástico, de modo geral, pode ser encontrado em diversos lugares no dia a dia e faz parte da revolução do mundo moderno, principalmente quando reciclado – setores como aviação, automobilístico, eletrônico, entre outros, utilizam esse recurso para melhorar seu desenvolvimento.

Além disso, verifique

Braskem desenvolve embalagem que detecta alimento impróprio para consumo

Quando passa do ponto, caixa muda de cor para sinalizar Ao analisar o mercado, a …