Blob Web
Perguntas

Você sabe o que mudou na medicina depois do plástico?

Conheça produtos que transformaram o dia a dia da área da saúde

Devido a infinita versatilidade dos plásticos modernos e suas propriedades de custo, durabilidade, impermeabilidade, transparência e compatibilidade com outros materiais é que foi possível ter um avanço intenso e significativo na medicina. As resinas plásticas também são responsáveis pelo desenvolvimento da medicina e atualmente são imprescindíveis.

A característica principal do material é a segurança que o seu uso proporciona nos tratamentos, como em uso de descartáveis, o que reduz consideravelmente a chance de qualquer contaminação a um custo competitivo.

E quais são os produtos que auxiliam no avanço da medicina?

As seringas originalmente foram produzidas em outros materiais que traziam alto risco de quebra e problemas de contaminação, devido a falha na esterilização. Nos dias atuais, a maioria das seringas que são usadas é de plástico, tem baixo custo e são descartáveis.

O polipropileno, conhecido como não-tecido, ganha cada vez mais espaço nos centros cirúrgicos e salas de exame, devido à resistência – apesar disso, são descartáveis, como toucas, aventais e proteção para os pés.

Os cateteres não seriam possíveis se não existissem os materiais plásticos. O cateter é um tubo flexível, que é inserido em alguma cavidade do corpo afim de retirar ou introduzir fluidos. Os que são usados em períodos curtos e, geralmente, feitos à base de PVC, e os que são utilizados por mais tempo são normalmente revestidos com poli – tetrafluoretileno (teflon), o PTFE – ou borrachas de silicone.

Em hemodiálises o plástico é essencial, pois no processo o sangue deve sair do corpo e ir para um equipamento, onde as membranas plásticas semipermeáveis promovem a separação dos componentes que prejudicam o sangue.

As saturas são usadas para fechar ferimentos e podem ou não ser absorvíveis pelo corpo. As não absorvíveis podem ter origem sintética – como nylon, poliésteres, polietileno, polipropileno, entre outros. Já as absorvíveis podem ser de poliglactina, poli ácido filicólico, polidioxanona e poliglecaprone.

As próteses são desenvolvidas a partir do plástico, e na ortopedia ele dá suporte ao substituir os membros e até corrigir deformidades. Assim como na oftalmologia, as lentes de contato ocupam lugar de destaque, as córneas artificiais são feitas de silicone e possuem as mesmas características de uma córnea natural. Na odontologia os plásticos também são fundamentais pois são utilizados em diversos tipos de obturações, implantes dentários, entre outros procedimentos.

Aparelhos auditivos também são realizados por meio de implante plástico, e trazem o som de volta à vida das pessoas. Os diversos componentes que fazem parte do aparelho, como o microfone e o dispositivo de transmissão que é ligado a um microcomputador utilizado no corpo.

Na medicação, o plástico também revolucionou. Os compridos com cápsulas de plásticos possibilitam a liberação da dose adequada dos ingredientes ativos. Essas cápsulas são à base de ácido tartárico que se decompõe gradualmente.

Outra utilização do plástico é a fabricação de preservativos, que previne doenças sexualmente transmissíveis, além de ser um método contraceptivo com porcentagem alta de confiabilidade, barato, compacto e descartável.

Depois de exemplos de evolução e desenvolvimento positivo da medicina, é possível afirmar que, a área da saúde jamais seria como é atualmente se não existissem os materiais plásticos.

Tag

Artigos relacionados