Banner Diamante Plástico 10 anos
NotíciasPlástico pelo mundo

Cartão de plástico reciclado, Pavimento de plástico e Teste de decomposição de bioplásticos

Plástico Pelo Mundo: Fique por dentro das principais notícias e curiosidades do plástico pelo mundo. O Banco BRB pretende fabricar cartões a partir de plásticos reciclados e reutilizados. Estudantes de engenharia e paisagismo unem reciclagem de plástico a energia limpa, com pavimentos sustentáveis. Bioplásticos com tempo de decomposição de 4 meses são visados para uso em embalagens e sacolas

Banco cria cartões de plástico totalmente reciclado

O projeto criado pelo BRB, visa produzir um portfólio com cartões de plástico 100% reciclados, e nasceu da preocupação com a cooperação na economia circular. 

A iniciativa visa também promover conscientização interna e externa, dentro da gestão da empresa, e em seus usuários. 

Pois, a realização é uma inovação que tem compromisso em promover a sustentabilidade e responsabilidade social.

Além de colaborar com a conscientização sobre reciclagem e reuso. 

Desse modo, para usar a prática de reuso, o Banco é a considerada a primeira instituição a criar cartões de PVC inteiramente reutilizados

Tanto as opções de crédito, quanto as de débito foram reformuladas e possuem as mesmas características dos modelos convencionais.

Ainda, a BRB garante manter a qualidade e a durabilidade, de um modo sustentável. 

Por enquanto, o Banco produziu cartões de plásticos da bandeira Visa, porém, antevê que todas as bandeiras com as quais trabalha serão remodeladas até o final do ano. 

Empresa transforma plástico em placas de concreto

Jovens estudantes de engenharia química, engenharia mecânica e paisagismo fundaram uma companhia chamada Platio Solar, para produções que contribuem para social e ecologicamente.  

A fim de ligar reciclagem e energia limpa, os estudantes transformam plástico em pavimentos para praças, calçadas públicas e outras obras que demandam concreto. 

Além disso, esses assoalhos incorporam células fotovoltaicas, para gerar energia solar, limpa e renovável.

Isso acontece porque essas placas estão implantadas em locais públicos e centros urbanos.

O projeto Plantio Solar em 5 anos, já transformou 32 toneladas de resíduos plásticos em pavimentos, todos capazes de gerar 440 mil kWh de energia limpa. 

Bioplásticos podem decompor-se em 4 meses

Pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná) iniciaram uma pesquisa que indica a capacidade de decomposição de cinco tipos distintos de plásticos.

Os materiais examinados são bioplásticos de diferentes composições e espessuras, assim como as matérias-primas vieram de substâncias provenientes de fontes renováveis e biodegradáveis. 

Esta diferença intrínseca de cada um, implica no resultado da biodegradação deles. 

Por isso, o processo de observação dos pesquisadores durou cerca de seis meses, e quatro para ter o primeiro resultado. 

O primeiro resultado foi de duas amostras que obtiveram 100% de degradação por micro-organismos do solo.

De modo que as outras três conseguiram o percentual de biodegradação em 30%, 60% e 50% em seis meses. 

A facilidade com que esses bioplásticos se degradam, acontece porque eles possuem poliéster alifático.

Assim como têm uma estrutura molecular fraca que pode ser fragmentada em pequenos pedaços se expostos à umidade e ao calor. 

Segundo a autora da pesquisa, Michele Spier, os materiais do estudo podem ajudar no processo de descarte e reciclagem.

Pois por ser útil para descarte de substâncias orgânicas domésticas, os recicladores não precisam entrar em contato diretamente para separar os dejetos para a reciclagem.  

Por fim, o objetivo da pesquisa é utilizar esses bioplásticos em sacolas, embalagens, talheres e sacos para dejetos de animais. 

Quer estar sempre informado sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para receber novidades e conteúdo de qualidade do mercado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo