Braskem
Feiras / EventosNotíciasPlástico

Taiwan e Brasil: relações comerciais no setor de autopeças

Indústria de autopeças de Taiwan busca negócios em Seminário que acontece dia 28 em São Paulo

A Taitra irá promover o Seminário Autopeças Taiwan, no dia 28 de novembro, no L´Hotel Porto Bay, em São Paulo, das 9h30 às 11h30. A fabricação de autopeças é um dos setores mais produtivos de Taiwan, gerando grande impacto na economia de norte a sul do país.

O tema central irá trazer as tendências dos fabricantes de autopeças taiwaneses para atender as demandas tecnológicas do mercado automobilístico mundial, especialmente em carros eletrificados.  A força da indústria de autopeças do país será apresentada com os números da AMPA. Tradicional feira do setor, que reúne cerca de 1400 expositores e 4 mil estandes em dois pavilhões do Taipei Nangang Exhibition.

Com predominância do norte, há 41% de fabricantes, seguido das regiões central com 31% e sul com 28%, o setor emprega em torno de 90.000 pessoas e faturou U$6,70 bilhões no ano passado. Segundo o Ministério da Economia, o valor de exportação de autopeças em 2018 foi de U$ 5,73 bilhões. Os cinco principais países importadores de autopeças de Taiwan foram EUA (45,3%), Japão (5,7%) e China Continental (5,2%), Reino Unido (3,4%) e Alemanha (2,8%).

Segundo Rachel Lu, diretora do Conselho para o Desenvolvimento do Comércio Exterior de Taiwan – TAITRA, “temos bons distribuidores no Brasil, alguns líderes em seus segmentos, mas precisamos reforçar a nossa presença aqui. A ascensão de marcas chinesas favoreceu a expansão de autopeças de Taiwan, por serem mais abertas para fabricantes menos tradicionais, mas com ótima relação custo/qualidade”.

Atualmente, os fabricantes investem em montar fábricas no exterior. A concentração de fábricas-satélite e a divisão sincronizada de trabalho no processo fabril permitiram, ao mesmo tempo, a produção de escala e o fornecimento flexível.

O mercado de reposição sempre foi o principal segmento para os fabricantes de autopeças de Taiwan, porém, com a difusão de veículos elétricos e a ascensão de montadoras chinesas, a indústria ganhou novos impulsos.

O futuro de setor automobilístico passa pelo carro elétrico e o carro autônomo, ambos se desenvolvendo com velocidade, com apoio de países europeus. O governo pretende adquirir apenas ônibus e veículos oficiais totalmente eletrificados em 2030, e a partir de 2040, todos os novos veículos comercializados em Taiwan deverão ser totalmente eletrificados.

A era dos veículos elétricos permitirá que o motor elétrico substitua o motor à combustão, a bateria substitua o tanque de combustível, o redutor substitua a caixa de câmbio, colocando a indústria de autopeças em nova ordem.  Atualmente, já há empresas especializadas na produção de motores elétricos em Taiwan.

A indústria está passando por uma transformação que direciona o mercado global para duas extremidades, uma sendo a demanda por componentes de alto valor, novas fontes energéticas e veículos elétricos. E outra, de baixo custo, demandada por veículos pequenos e enxutos. Taiwan possui sólida indústria de tecnologia de informação e de semicondutores. O país investe em tecnologia de manufatura avançada e inovação, para aumentar o valor agregado dos produtos e inserir-se numa divisão internacional do trabalho para manter as vantagens da concorrência industrial. É este debate que o Taiwan Trade Center do Brasil levará no dia 28 de novembro, em São Paulo.

Tag

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo