Blobweb
NotíciasPlástico

Soluções inovadoras para os desafios da mobilidade urbana

Exigindo soluções para os desafios da mobilidade urbana, a BASF apoia direção autônoma com ampla gama de plásticos de alta performance

A indústria automotiva tem enfrentado novos desafios com as megatendências em termos de materiais, porém ao mesmo tempo, estão criando oportunidades. A eletro mobilidade e a direção autônoma seguem prontas para revolucionar os carros. Os plásticos de engenharia são insubstituíveis na eletro mobilidade e as tendências automotivas como emissões reduzidas e direção automatizada já são uma realidade.

Os novos veículos já dependem de soluções em materiais da indústria químicas, e no futuro a química terá um papel considerável para contribuir com a solução dos desafios da mobilidade.

Todo o sucesso da eletro mobilidade está vinculado à velocidade com que conseguimos otimizar o desempenho, peso, segurança e a eficiência das unidades de tração elétrica. Os plásticos de engenharia com capacidade para retardar chamas se tornam indispensáveis para possibilitar a economia em termos de peso e espaço de instalação.

Os grades especiais de poliamida (PA) e poli (tereftalato de butileno) (PBT) da BASF podem ser usados como materiais retardadores de chama livres de halogênio, fornecendo propriedades específicas aos componentes de alta voltagem dentro e fora do veículo. Esses plásticos, chamados de plásticos de engenharia atendem aos requisitos de retardamento de chamas, estabilidade de cor, mecânica e isolamento elétrico, e as propriedades isolantes intrínsecas aumentam a segurança no veículo.

Com o objetivo de garantir microeletrônicos seguros que evitam danos por corrosões elétricas nos circuitos, a BASF possui uma ampla linha de grades de poliamida 6 e 66. Comercializando há anos os vários tipos de Ultramid EQ (EQ: Qualidade eletrônica), eles são puros e quase não contêm substâncias corrosivas, como halogenetos.

Os atuais sistemas de tração eletrônica ainda fazem parte da indústria de metais e os fabricantes de motores eletrônicos e componentes eletrônicos de potência têm usado caixas feitas de aço ou alumínio fundido. Como muitos dos componentes são agora ativamente resfriados, as soluções plásticas já são uma possibilidade para uma montagem leve. Por exemplo, com os grades retardantes à chama Ultramid A3U42G6 e B3U50G6.

Como as caixas que contêm componentes elétricos de alta tensão devem ser blindadas eletricamente para evitar o comprometimento da área ao redor, a BASF está buscando soluções com os revestimentos de metal nas peças de plástico. O revestimento da BASF consegue fornecer uma boa blindagem do campo magnético e os plásticos de engenharia oferecem a vantagem de integrar funções adicionais ao componente.

Não só a eletro mobilidade, mas a direção altamente automatizada também irá revolucionar os veículos do futuro.  Nos veículos autônomos, o interior será como uma sala de estar estendida, com os números de sensores que aumentará, os motoristas serão liberados de muitas tarefas relacionadas à direção.

A BASF tem contribuído significativamente com diversas tecnologias de sensores eletrônicos com seu portifólio de classes PBT com resistência hidro lítica.

Com a automação crescendo, também terá uma grande variedade de novos sensores nos veículos, como radar, infravermelho e sensores ultrassônicos.  Esses sensores funcionam como assistentes de pista e como sistemas de alerta de colisão, com controladores de distâncias.

Essas soluções em larga escala só podem ser asseguradas com o uso do plástico e a BASF oferece plásticos otimizados para redares usados para transmissão e absorção, melhorando a funcionalidade dos veículos automatizados com maior eficiência de custo.

Tag

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo