Bulher
Notícias

O que você considera sucesso em um Setup?

Veja como avaliar se o setup da máquina está sendo realizado de maneira otimizada e eficiente

O Setup de máquinas injetoras é um processo complicado de se definir, pois as metodologias que os trocadores e preparadores utilizam atualmente, não são padronizadas.

Gilberto Baksa Junior, Diretor da Pensei Nisso, explica que algumas empresas que adotam metodologias de troca de molde consagradas, como SMED (no português: troca rápida de ferramenta), utilizando estratégias de trabalho de separar as atividades chamadas externas, que são possíveis de se realizar com a máquina trabalhando, isto é, sem a parada da produção e sem interferência de parada de máquina. E operações internas, que são realizadas com máquina parada, e desta forma impactam diretamente no tempo de setup.

Para saber se o setup está sendo bem sucedido, existem alguns métodos, um deles é a tomada de notas sobre quantas operações é possível realizar dentro dos tempos externos, e quantas operações se realiza dentro dos tempos internos.

Este resultado já irá revelar um caminho e apontar se está sendo eficiente ou não, visto que, se o número de operações internas for maior que as externas, há algo errado.

Depois de relacionar as operações e quantificar, a meta é avaliar se é possível transformar operações internas em externas, e assim, fazer com que sua preparação seja maior com a máquina em funcionamento. Nesta etapa é importante reunir a equipe, seja da área logística, operacional ou liderança, para idealizarem a melhor forma de transformar estas operações e reduzir ao máximo as operações internas.

A segunda etapa é analisar os tempos gastos com cada operação interna e externa e procurar alternativas de otimizar este ciclo, tendo em mente que, quanto mais preparo houver para a etapa interna, em menos tempo ela será realizada.

Trazer a equipe para avaliar os períodos, filmar os detalhes da operação, relacionar os materiais, ferramentas e objetos necessários nesta etapa é extremamente importante para ter tudo sob controle, uma vez que, a necessidade de parar a troca de molde por falta de uma ferramenta já ocupará um longo tempo da produção.

Avaliar com a equipe as métricas e ações a serem melhoradas, bem como, demarcar o que pode ser feito para evitar deslocamentos indevidos, tudo isso fará com que sua operação seja mais eficiente.

O diretor destaca “Por experiencia prática, posso afirmar que trocas de molde realizadas em 45 minutos podem facilmente atingir 15 minutos, se tudo estiver organizado e preparado anteriormente nas operações externas, basta o esforço e um pouco de metodologia. Mas nada é possível sozinho, o trabalho em equipe é fundamental para contemplar de forma efetiva o sucesso de um setup de máquina”.

Quer estar sempre informado sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para receber novidades e conteúdo de qualidade do mercado.

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso! Seja bem-vindo ao maior Portal do Plástico da América Latina.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
close-link
close-link