Bulher
EmpresaMulheres do PlásticoNotíciasPlástico

[Mulheres do Plástico]: Exaltar qualidade da profissional e não do gênero

Ser mulher não é um desafio quando existe a força de vontade e presença no mercado

Dando continuidade no Projeto Mulheres do Plástico, conversamos com Renata Canteiro, diretora técnica Embaquim.

Canteiro é bióloga e responde pela área técnica da Embaquim, empresa de embalagens, e responde também pela qualidade de uma empresa de dispositivos médicos, e conta que conquistou essas funções com muito estudo e paciência, das pessoas que acreditaram em seu potencial. “Sou mãe há 8 anos, e como a maioria das mulheres que conheço, a maternidade só aumentou o senso de responsabilidade e habilidades multitarefas”, conta.

Para a diretora o ambiente de trabalho dentro da Embaquim é bem balanceado entre homens e mulheres. “Aqui temos o orgulho de contarmos com mais de 50% do nosso quadro preenchido por mulheres, desde a presidência até a ajudantes de produção. Assim, o ambiente torna-se bem balanceado, e as virtudes de todos pode ser exaltadas”, contou.

Canteiro destaca que não sente desafio em sua carreira por ser mulher, porque para ela, os homens que têm medo de mulheres inteligentes não conseguem ascender muito na carreira. “Percebo que na minha área técnica, há poucas mulheres que buscam formação nas engenharias. Penso que saímos na frente no quesito liderança, já que o nosso sexto sentido trabalha nosso favor”.

O Brasil, ainda é um país cheio de desigualdades e a questão de igualdade de gêneros no mercado de trabalho é só mais uma que presenciamos. “Acredito que essa questão de igualdade será ultrapassada com a educação no núcleo familiar, garantindo autoestima e acesso às meninas a brincadeiras que despertem o interesse pelas ciências exatas”, ressalta Canteiro.

Revertendo o papel das mulheres dentro da indústria

A diretora salienta que dentro da Embaquim, a empresa já reverteu a questão das mulheres dentro da indústria, e que mais de 50% são mulheres lá dentro. “Poucas vezes em reuniões e/ou cursos em me senti constrangida por trabalhar um ambiente majoritariamente masculino, poucas vezes me senti constrangida ao escutar piadas machistas, e como eram piadas, eu rebatia com alcinha feminista”.

A diretora finaliza que mulheres o fato de as mulheres engravidarem não é um problema. “Temos tantas histórias emocionantes de mães na empresa, que seria um prejuízo não darmos essas oportunidades. Temos por exemplo uma mãe que trabalha no terceiro turno, pois assim consegue ficar com as filhas no contraturno e dorme enquanto as filhas estudam, e ainda trabalha enquanto elas dormem. Ela é mãe, pai, família, sustento, amiga, tudo para as filhas, e desempenho seu papel muito bem dentro da empresa”.

Quer saber mais sobre as histórias das mulheres no plástico? Preencha o nosso formulário para receber os conteúdos de qualidade.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Mulheres do Plastico
close-link
close-link