Banner Diamante Plástico 10 anos
NotíciasPlástico

Horta em reciclado, Circularidade e sustentabilidade em embalagens

Plástico Pelo Mundo: Fique por dentro das principais notícias e curiosidades do plástico pelo mundo. Horta sustentável com estrutura de garrafas plásticas reutilizadas é inaugurada em Porto Velho. O Consórcio impulsiona a circularidade das embalagens de plástico secundário. Amstel adota embalagens sustentáveis da Packseven

Horta em reciclado

garrafas plásticas recicladas

Uma plantação sustentável construída com garrafas plásticas recicladas foi inaugurada em Porto Velho. De acordo com o Governo de Rondônia, o jardim visa destacar a importância da reciclagem plástica.

A princípio, a horta foi criada durante a Semana do Meio Ambiente, realizada pelo governo, por meio da Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (Soph), e busca reutilizar materiais descartáveis.

Uma equipe de voluntários será responsável pela administração da plantação. O objetivo é promover o interesse pela agricultura urbana e a conscientização ambiental.

Segundo a administração do porto, parte dos alimentos cultivados se destinaram à comunidade local. Essa destinação “contribuirá para o acesso a alimentos frescos e nutritivos por parte daqueles que mais precisam”.

A iniciativa prevê o aproveitamento garrafas plásticas recicladas resultando em impactos positivos para o meio ambiente, além de obter alimentos que crescem em ambientes seguros e controlados.

Circularidade de embalagens

Com o objetivo de reciclar polietileno linear de baixa densidade (LLDPE) e resíduos de polietileno de baixa densidade (LDPE) para embalagens flexíveis, a LMF Nord GmbH planeja construir uma usina de reciclagem mecânica no norte da Alemanha. No início de 2025, o setor deve começar a produzir seus primeiros produtos.

A princípio, as embalagens de plástico secundário, como película elástica ou retrátil, se aplicam principalmente para reter bens de consumo embalados e protegê-las durante o transporte e o armazenamento contra contaminação e danos. 

Apesar de seus requisitos de resistência e transparência, esse material continua difícil de reciclar em matérias-primas de alta qualidade que podem atender aos padrões da indústria de embalagens.

Yvonne van der Laan, vice-presidente executiva de soluções Circulares e de Baixo Carbono da LyondellBasell, disse que: “Esta Joint Venture fornecerá materiais reciclados LDPE e LLDPE e complementa nossa gama atual de produtos de CirculenRecover polietileno e polipropileno de alta densidade”.

Para ele, isso contribui para os esforços em reciclagem avançada e entrega para a estratégia central integrada. “Em que investimos a montante para fornecer matéria-prima de vários fluxos de resíduos plásticos. Com este conjunto completo e eficiente de soluções, continuamos a ser o parceiro preferido dos nossos clientes”.

Sobretudo, a expectativa é que a nova unidade de reciclagem produza 26.000 toneladas por ano de tipos reciclados de LDPE e LLDPE.

Com isso, a LyondellBasell comercializa por meio de sua família de produtos CirculenRecover para uso em várias aplicações, desde películas de estiramento até películas de colagem. 

Embalagens sustentáveis

Uma das principais empresas brasileiras de filmes flexíveis, a Packseven, forneceu à Amstel, sétima maior marca de cerveja do mundo, embalagens mais sustentáveis.

Nesse sentido, a proteção plástica que reveste as latas da marca é feita com Shrink PCR, produzido com resinas pós-consumo recicladas. 

O CEO da Packseven, Kleber Avila, conta que este é o segundo case de sucesso no mercado cervejeiro com o modelo mais sustentável. “Fizemos a primeira experiência com a Devassa, produzida pelo Grupo Heineken, e agora ampliamos o sucesso com a Amstel. O Shrink utilizado possui personalização com as especificações necessárias de tamanho, espessura, transparência, encolhimento e impressão”.

Dessa forma, o conteúdo reciclado representa 30% do plástico utilizado nas embalagens da marca. 

Assim, o modelo utilizado conta com uma resina de alta performance feita de plástico reciclado pós-consumo, desenvolvida pelo Grupo Kapersul Waste Management (KWM).

Contudo, a resina PCR foi escolhida para acelerar a economia circular dos plásticos e colaborar com a atuação de cooperativas de reciclagem. 

Sobretudo, o processo de produção a partir disso é capaz de aumentar a vida útil e a reciclabilidade do material contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Quer estar sempre informado sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para receber novidades e conteúdo de qualidade do mercado plástico.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo