Super Finishing
NotíciasPlástico

Evolução do profissional da indústria

Como o ser humano se adapta às inovações

O ser humano passa por períodos de adaptação desde o seu nascimento, quando precisa aprender, principalmente, a se alimentar, caminhar e falar, até o seu amadurecimento, momento em que chega na fase adulta e é necessário estar preparado para entrar no mercado profissional. A evolução das coisas é inevitável com o passar do tempo, e o homem precisa se adaptar para crescer e viver no meio social, inclusive no mercado de trabalho.

Na indústria não seria diferente, pois a mudança é constante e diariamente a inovação se faz presente, palavra que faz pensar em progresso, modernidade, crescimento e tecnologia. Entretanto, o conceito de inovação se contrapõe de acordo com o contexto inserido, pois ela se baseia na consciência de que tudo está em contínua transformação e de que, todos os envolvidos nos processos precisam interagir com as novas exigências, entender e aceitar as mudanças, sem passividade, mas com condução coerente das novidades e utilização de novos conhecimentos, para aperfeiçoamento e evolução.

O indivíduo passa por gerações, e a primeira delas é a baby boomer, que surgiu logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, e tem como característica principal pessoas que preferem um emprego fixo e estável, na maioria das vezes, trabalham na mesma empresa durante a vida inteira. Seus valores são fortemente embasados no tempo de serviço, por isso, preferem ser reconhecidas pela experiência à capacidade de inovação.

Entretanto, essas indústrias, que em maioria tem seus diretores pertencentes à essa geração, precisam passar por adaptações, assim como os seus funcionários, pois a mudança é real nos dias atuais e para se manter no mercado competitivo, é fundamental aceitar, reconhecer e implantar mudanças, e isso vale tanto para os funcionários, que precisam acompanhar o desenvolvimento, para que não fiquem defasados ou sejam substituídos, assim como a empresa, para que continue atuando.

Apesar da rejeição inicial, boa parte dos colaboradores, para não perderem suas colocações profissionais, tem buscado ampliar seus conhecimentos de acordo com suas necessidades, através de cursos profissionalizantes, técnicos e até faculdades específicas. Dessa forma, além de se manterem em seus empregos, ganham mais qualidade para atuação, pois se especializam diariamente.

Caminho para chegar no mercado industrial atual

Para chegar a indústria 4.0, implantada já em alguns lugares do mundo, o setor industrial passou por diversas mudanças e precisou de um pontapé inicial, dado na Primeira Revolução Industrial ou Indústria 1.0, que surgiu no fim do século XVIII. Nela, o homem conseguiu implantar a produção mecanizada, junto com a energia à vapor e hidráulica.

No Brasil, uma referência de evolução industrial é Francesco Matarazzo, que foi considerado o homem mais rico do país, com as Indústrias Reunidas Fábricas Matarazzo (IRFM). Com sede na cidade de São Paulo e como o maior grupo empresarial da América Latina, a IRFM chegou a englobar em torno de 350 empresas de diversos ramos – têxtil, químico, comercial, bancário e alimentício, e ainda, empregou cerca de 6% da população da Grande São Paulo.

Os especialistas concordam que a Quarta Revolução Industrial logo se tornará realidade mundialmente, devido a interligação entre os mundos digital e analógico, que tem se tornado cada vez mais efetiva. A rede de dispositivos de acesso, pessoas e sistemas de informação está preparando a sociedade para a ‘internet das coisas’.

O aumento da interconectividade não afetará somente a vida pessoal de cada indivíduo, mas principalmente a indústria, com mudanças permanentes. Os primeiros sinais dessa mudança podem ser vistos através da crescente automatização dos processos de produção, que vem sendo implantados com mais frequência no mercado industrial.

Saiba mais sobre as revoluções industriais que antecederam a história do desenvolvimento da indústria. Acompanhe-nos e fique por dentro!

Tag

Artigos relacionados