mc components muck maq
EmbalagemEmpresaNotíciasPlásticoSustentabilidade

Empresa apresenta novas soluções sustentáveis para embalagens de café

A Terphane aborda as vantagens dos filmes de poliéster para embalagens de café

A Terphane e um importante player mundial, participou do primeiro webinar da ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café, com o tema principal ‘Reciclabilidade das embalagens de café’.

Célia Freitas, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Terphane, apresentou as diversas opções de filmes PET para café, com ênfase aos metalizados altas barreira e aos filmes sustentáveis da linha Ecophane. “Devemos lembrar que os filmes de poliéster fazem parte da história das embalagens de café. O material está presente em praticamente todas as embalagens. São excelentes propriedades mecânicas e físicas que o PET garante às embalagens de café. Entre elas, printabilidade, altas barreiras a gases, aroma e umidade, e maquinabilidade, tanto no processo de conversão como no envase”.

Como inovação, Célia ainda cita as estruturas especiais com alta barreira que uma nova metalizadora, única nas Américas, instalada na planta da Terphaneem Cabo de Santo Agostinho (PE), permite produzir. “Graças à toda tecnologia aplicada em nossa linha de produção, conseguimos criar estruturas que variam de 8 a 50 micra de espessura. Especificamente para café, já atingimos uma redução de espessura de 12 para 10 micra.”

O processo de metalização também conta com a vantagem de eliminar a folha de alumínio da estrutura da embalagem, evitando o efeito de flex cracking (micro furos na folha de alumínio que podem comprometer a qualidade do café) e redução da pegada de carbono já que o alumínio dificulta a reciclagem da embalagem pós consumo. Ainda sobre o aspecto sustentabilidade, Célia enfatiza a nova linha de filmes sustentáveis Ecophane, da Terphane, dividida em duas famílias de produtos: filmes BOPET com no mínimo 30% de PCR em sua composição e os filmes biodegradáveis.

Toda a linha Ecophane já foi aprovada pela Anvisa para contato com alimentos, bem como por órgãos internacionais, como FDA (EUA) e EFSA (União Europeia). Dados do 110 censo da Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PE) Tmostram que o Brasil reciclou 55% das embalagens PET descartadas pós consumo em 2019, 12% a mais que no ano anterior.

Segundo Paula Tavares, consultora em sustentabilidade da ABIC, a associação vem investindo em comunicação e conscientização de seus associados e consumidores. “Quando falamos em sustentabilidade, a ABIC trabalha no tripé social, ambiental e econômico. Seja através das redes sociais, de comunicados internos ou campanhas, a entidade foca em ações e parcerias que estimulem a reciclagem e o consumo consciente. O café gera conversas, a ABIC conexões”.

Quer saber mais sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para saber mais novidades receber os conteúdos de qualidade do mercado plástico.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Mulheres do Plastico
close-link
close-link