Bulher
COVID-19EconomiaEmpresaNotíciasPlástico

[COVID-19]: Caxias do Sul tem retomada gradativa das indústrias

Entidade traz novas diretrizes sobre autorização de retomada de trabalho do setor industrial na cidade

Caxias do Sul, um dos maiores polos industriais do mercado plástico no Brasil, responsável por 11 mil empregos diretos, e por conta de seu sindicato, Simplás (Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho), comunica que foi publicado, o Decreto nº20.855, que autoriza, a partir de 06 de abril, a retomada das atividades industriais na cidade de Caxias do Sul, utilizando 25% da mão de obra preexistente.

Para a retomada gradativa, as empresas devem oferecer álcool gel 70% e/ou água e sabão nas áreas de trabalho. Distanciamento mínimo para evitar a contaminação e transmissão do COVID-19. Utilização de regime home office para os colaboradores que possam realizar suas atividades à distância e aumento dos turnos de refeição, para redução do número de colaboradores nos refeitórios.

A Portaria determina também a observância às disposições do Decreto Estadual nº 55.154, de 01 de abril de 2020, no que diz respeito a adoção das medidas de prevenção ao COVID-19. Por fim, o Decreto estabelece que a data e as condições para a retomada integral das atividades industriais dependerão da situação epidemiológica do Município de Caxias do Sul.

As secretarias estaduais de saúde até o momento, contabilizam 12.240 infectados em todos os estados brasileiros. O Governador do Estado de São Paulo, João Doria, prorrogou a quarentena até 22 de abril, com o objetivo de conter o avanço do coronavírus.

O dólar abriu em queda, sendo negociado a R$5,20. A Colômbia estendeu sua quarentena até 26 de abril. A China, país onde surgiu a epidemia do coronavírus, tem seu primeiro dia sem mortes pela doença, e o número vem caindo há semanas.

O diretor comercial da PavanZanetti, Newton Zanetti, afirma que a empresa está sentindo os impactos do COVID-19 com muita intensidade, pois fornecedores estão parados, atrasando os fornecimentos, trazendo atrasos na produção. “Tomamos medidas como home office para setores administrativos e férias antecipadas. Estamos receosos, mas sabemos que a empresa não pode parar. Sabemos que teremos impacto na produção com redução do volume produzido, atrasos de entrega, prazos mais longe de entregas futuras e redução drástica de capital de gira”, explica.

Quer saber mais sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para saber mais novidades receber os conteúdos de qualidade do mercado plástico.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Mulheres do Plastico
close-link