Bulher
Notícias

Conservadoras em EPS são usadas na distribuição do primeiro lote da campanha de vacinação contra o coronavírus

A Termotécnica está preparada para as demandas em suas fábricas SC, SP e AM para facilitar a logística

Imediatamente após a liberação emergencial da Anvisa para a vacina produzida pelo Instituto Butantan, a operação logística para todos estados do país teve início. Para o transporte do primeiro lote da vacina CoronaVac estão sendo utilizadas 3 mil conservadoras em EPS de 130 litros da Termotécnica. 

A companhia há muitos anos é a principal fornecedora para as campanhas de vacinação no Brasil, atendendo este mercado com unidades conservadoras (caixas) em EPS (isopor – marca registrada de terceiro), para a distribuição de vacinas no país.

A Termotécnica é parceira de vários operadores logísticos e desta forma está apta a fornecer também para a campanha de vacinação contra novo coronavírus. Especificamente para atender esta demanda do Ministério da Saúde, o operador logístico é a VTCLog, do grupo VoeTur, que já tinha este estoque de conservadoras.

Para as demais fases da campanha de vacinação e também para as outras vacinas que serão utilizadas a Termotécnica já está preparada para estas demandas em suas fábricas de Joinville (SC), Rio Claro (SP) e Manaus (AM), contribuindo para facilitar a logística destas entregas.

Desde que se iniciou a pandemia do coronavírus, a Termotécnica vem desenvolvendo soluções inovadoras para atender ao mercado farmacêutico. Em agosto de 2020 lançou a nanotecnologia do Safe Pack – EPS antiviral, para redução do risco e velocidade da contaminação por vírus.

As unidades conservadoras em EPS que poderão ser aplicadas no transporte de vacinas em temperaturas extremamente baixas já passaram por testes de performance com resultados positivos. Especificamente para o acondicionamento de transporte para as vacinas contra o novo coronavírus, a Termotécnica desenvolveu uma solução de embalagem em EPS que, aliada a tecnologia do gelo seco, mantém temperaturas de -70ºC por até 30 horas, estando apta à atender a demanda de distribuição da vacina da Pfizer. Na mesma linha, as conservadoras para temperaturas de -20ºC com intuito de atender o transporte de vacinas da Moderna também passaram pelos testes que atestaram sua performance.

Todo o portfólio atual da companhia já é qualificado, junto a laboratórios credenciados, para o transporte de medicamentos nas temperaturas de 2ºC a 8ºC, mesma faixa de temperatura exigida para as vacinas CoronaVac.  “Em relação à prazos e volume de produção dependemos da disponibilização dessas informações pelo Ministério da Saúde, mas estamos em contato contínuo com nossos parceiros para planejar o atendimento de demandas futuras geradas pela programação das fases seguintes de vacinação”, afirma o presidente da Termotécnica, Albano Schmidt.

Quer saber mais sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para saber mais novidades receber os conteúdos de qualidade do mercado plástico.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Mulheres do Plastico
close-link
close-link