Bulher
EmpresaNotíciasSustentabilidade

Companhia desenvolve microfibra de PP para impulsionar a Economia Circular na indústria

Braskem segue ampliando a sua área dedicada a Reciclagem desenvolvendo estudos e soluções para minimizar impactos ambientais

A maior petroquímica das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros, Braskem, busca por soluções cada vez mais inovadores e sustentáveis por meio do uso do plástico para alavancar a Economia Circular de valor. O resultado mais recente é a microfibra de Polipropileno (PP), feito a partir de copos descartáveis para aplicação na indústria têxtil.

A Braskem segue em parceria com grandes empresas ligadas ao setor têxtil, como Profil e EcoSimple, para confirmar a viabilidade técnica e econômica do processo de produção renovável em escala industrial. A companhia também firmou parceria com a grife PatBO, pra utilização de fios e tecidos á base de microfibra de PP com material reciclado na criação de peças de moda beachwear, que estarão na edição N48 da São Paulo Fashion Week, principal evento de moda no Brasil.                

André Giglio, especialista de Desenvolvimento de Mercado Polipropileno da Braskem explica “as parcerias têm sido fundamentais para que possamos evoluir o desenvolvimento de soluções que possam fortalecer a Economia Circular na cadeia de valor em que atuamos. O Polipropileno, que já é uma alternativa com custo mais acessível e viável para atender a demanda crescente da indústria têxtil, pode oferecer vantagens ainda maiores para o setor se for produzido a partir de material reciclado”.

Os estudos dedicados a área de Reciclagem na Braskem permitiram o desenvolvimento de uma solução que mantém as mesmas características do tecido feito com PP virgem, como a leveza, resistência ao desdobramento e á formação de pillings, além de maior durabilidade, secagem rápida, dispersão da transpiração, e tingimento ecológico.   

A evolução da formulação do PP e o esforço da Braskem para engajar a industrial têxtil em métodos de produção ainda mais sustentáveis são reforçados pelas Avaliações do Ciclo de Vida (ACV), índices de impacto ambiental calculados pela companhia para garantir que as novas soluções sejam, sustentáveis de fato. As AVC’s levam em consideração todas as etapas do processo de produção, desde a extração da matéria-prima a entrega do fio para a tecelagem, e fatores como aquecimento global, uso de água e de recursos, com dados quantificados de acordo com a norma ISO 14044. No caso do PP com material reciclado, o índice de impacto ambiental é 45% menor que outras alternativas mais utilizadas em tecidos sintéticos.

Segundo Ana Laura Sivieri, Diretora de Marketing & Comunicação da Braskem, “a sustentabilidade é uma questão muito presente em nossos processos e temos avançado cada vez mais no desenvolvimento de soluções que possam minimizar impactos ambientais na cadeia de valor de forma geral. A ampliação do nosso portfólio de produtos sustentáveis é consequência dos nossos compromissos com a Economia Circular, que incluem investimentos em tecnologia e inovação e trabalho conjunto com nossos parceiros, clientes, fornecedores e a sociedade”.

Os tecidos fabricados com as microfibras de PP com material reciclado também são recicláveis, e, ao final da sua vida útil, se descartados adequadamente, poderão ser transformados em novas malhas ou outros produtos. Além de ser utilizado na produção de microfibras, o PP com material reciclado da Braskem, pode ser aplicado nos segmentos de tampas de cosméticos e produtos de limpeza, utilidades para o lar, na indústria automotiva.

Quer saber mais sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para saber mais novidades receber os conteúdos de qualidade do mercado plástico.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Mulheres do Plastico
close-link