Bulher
NotíciasPlásticoSustentabilidade

Brasil se destaca no Programa Pellet Zero – OCS

Em seis meses, a Plastivida já certificou 22 empresas e uma delas já recebeu a primeira certificação OCS Blue da América do Sul
 
Em 2020, o Brasil ganhou destaque positivo no que se refere à responsabilidade socioambiental da indústria no tema dos resíduos nos mares. O país é protagonista na implementação do Programa Pellet Zero – OCS na América do Sul.

Criado para auxiliar indústrias do setor plástico na eliminação de perdas de pellets plásticos para o ambiente, por meio de educação ambiental, o Programa Pellet Zero recebe um modelo inovador de implementação para o Brasil.

O formato foi desenvolvido de acordo com a realidade brasileira e sob os parâmetros estabelecidos no “Fórum Setorial dos Plásticos – Por Um Mar Limpo”, com base no Manual original do programa criado nos Estados Unidos pela ACC (American Chemistry Council) e PIA (Plastics Industry Association). 

A parceria com a Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química), que incluiu o Pellet Zero – OCS como um de seus pilares, tem sido de grande importância para que seus signatários, parceiros logísticos e transportadores se envolvam na causa de preservação dos oceanos

A Dow em recente parceria com a Plastivida, divulgou o OCS entre seus prestadores de serviços e operadores logísticos, criando um foco do programa. Hoje, estas empresas têm sinalizado a obrigatoriedade da certificação OCS como condição da prestação de serviços, estimulando ainda mais o programa. 

Em apenas 6 meses de atuação, 22 empresas foram orientadas pela Plastivida (Instituto Socioambiental dos Plásticos), licenciadora do OCS (Programa Internacional Operation Clean Sweep) e pelo IOUSP (Instituto Oceanográfico da USP) e já foram certificadas, abrindo portas para clientes e parceiros do setor. 

 Em dezembro de 2020, a Plastivida emitiu o primeiro certificado OCS Blue da América do Sul, a categoria mais alta dentro do programa, concedida à Braskem, uma das signatárias do “Compromisso Voluntário da Indústria com a Economia Circular”.

Além dela, Dow, Innova e Unigel, todas signatárias, também já são certificadas OCS, demonstrando o compromisso da petroquímica brasileira na preservação ambiental.

Edison Terra, coordenador da comissão setorial de resinas termoplásticas, Coplast, da Abiquim, afirma “as metas do compromisso voluntário são ambiciosas, mas possíveis, e o resultado já vem sendo percebido com a implementação do programa, realizado no nosso setor pela parceria da Plastivida com o Instituto Oceanográfico da USP. Nós queremos dialogar com todos os setores sobre este tema. Se, de um lado, os benefícios do plástico para a humanidade são insubstituíveis, por outro, a gestão de resíduos sólidos é uma questão complexa, mas que temos condições de tratar se juntarmos as forças da cadeia do plástico, dos governos e da sociedade em geral”.

Para Miguel Bahiense, presidente da Plastivida, a meta de zerar a presença de pellets em mares e oceanos faz parte da governança das empresas e indústrias. O executivo afirma “a união das entidades representativas do setor é de grande influência no estímulo da participação da cadeia produtiva no programa, a liderança e influência da petroquímica neste quesito é de extrema importância”.

As empresas que assinam o Termo de Compromisso com o Pellet Zero – OCS recebem a certificação com uma estrela e, com o processo de implementação do programa, realizado em fases, as graduações (estrelas) são acrescentadas a seu certificado, até a pontuação máxima de 4 estrelas.

Neste momento, a empresa pode optar por seguir os parâmetros do OCS Blue, quando se submete a um processo de auditoria e assim obtém a quinta e última estrela em sua certificação. 

Cada estrela é obtida a partir das entregas dos requisitos necessários para a certificação à licenciadora dentro de prazos definidos: adesão ao programa, diagnóstico, elaboração do plano de trabalho, implementação do plano. Todo este processo, para a indústria, tem prazo máximo de dois anos para ser concluído.

O modelo de implantação desenvolvido no Brasil é inovador e foi aprovado pelo Operation Clean Sweep – OCS. Sua elaboração se baseia no manual do programa Pellets Zero – OCS, que atende às metas previstas pelo objetivo do desenvolvimento sustentável, de conservação e uso sustentável dos oceanos, e às assumidas pelos governos de diversos países e por organizações intencionais da sociedade civil, durante a Conferência das Nações Unidas parar os Oceanos, em 2017.

Quer estar sempre informado sobre a indústria do plástico? Preencha o nosso formulário para receber novidades e conteúdos de qualidade do mercado plástico.

[dinamize-form id=”13211″]

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo